18.9.06

Nem credora, nem devedora, por sua Graça...


Minha primeira gravidez foi de gêmeos, e eu estava me sentindo feliz e premiada. Com quase 7 meses de gestação eles morreram na barriga e eu fui submetida a uma cesariana já sabendo que voltaria para casa sem os filhos.

Sentia-me absolutamente decepcionada com a perda vivida e cheguei a acreditar que Deus tinha dado as costas para mim. A imagem do Deus cruel e vingativo que estava querendo tanto tirar da minha mente naqueles últimos anos,voltava a me perseguir. Entrei em crise. Tive mesmo raiva de Deus e tentava negar isso a mim mesma, sentindo-me muito culpada por estar sentindo algo tão ruim em relação a Ele. E me sentia abandonada e castigada.

Ainda no hospital, me sentindo arrasada, cheguei a dizer a uma amiga cristã em quem confiava muito:
_ É... Deus está me devendo essa.
Ao que ela respondeu:
- Mas Ele tem crédito, não é?

Foi nesse período que encontrei e li o livro Decepcionado com Deus, do escritor Phillip Yancey. Resisti muito ao título inicialmente, mas ao resolver ler, logo no início vi que aquilo que eu sentia e de fato me assustava tanto, era experimentado por outras pessoas também em situações similares.Depois de muita resistência e paradas na leitura, consegui chegar ao fim do livro e perceber, humildemente, que eu ainda era uma menina na fé, na relação com o Pai, e que ainda tinha muito a aprender sobre fé e graça.

Percebi que ali, naquele abismo emocional tão profundo, o amor de Deus e a sua graça permaneciam disponíveis para mim. Descobri na pele que seguir o caminho de Jesus não significava ser imune aos grandes sofrimentos, mas me aperceber da sua graça em qualquer momento e circunstância e dar a Ele o louvor devido em qualquer situação.

Compreendi finalmente a graça de Deus e a minha completa e absoluta incapacidade de pagá-lo por tudo o que imerecidamente Ele me deu em Cristo e tudo que me dá por sua graça diariamente. Nem credora e nem devedora. Deus nada me deve e por sua graça eu nada lhe devo, pois tudo Ele pagou na cruz por amor e graça.

Graça preciosa. Graça que basta. Graça disponível a todos...é esse o Caminho!
O que nos cabe?
A eterna ação de graças que, conseqüentemente, gera ações cheias e recheadas de Graça!

1.9.06

Deus não é Delivery ...

Quando pedimos algo a Deus, até dizemos “seja feita a tua vontade”, mas, querendo ou não, ficamos sempre é torcendo mesmo pelo que gostaríamos que acontecesse, e de preferência imediatamente.

Às vezes ficamos ansiosos tentando visualizar de qual caminho sairá a resposta para o que foi pedido, ou imaginando as opções que Deus tem para nos atender Outras vezes tentamos dar um empurrãozinho, sugerindo como Ele deve agir.

Alguns ainda se atrevem a não pedir ou sugerir, mas a ordenar que seja detalhe por detalhe como foi exigido! Agem como se estivessem solicitando uma compra Delivery. A diferença é que não vão pagar...

Deus gosta e quer que oremos, e que peçamos por nós e pelos outros, mas nem disso Ele precisa para fazer o que deseja por nós e para os outros. Ele sabe exatamente o que todos nós necessitamos.

Em sua soberania, Deus deseja dar o seu melhor para nós. Mas do jeito dele. Não gosta de agir como Delivery, mas como Pai do céu que faz “muito mais do que pedimos ou pensamos segundo o seu poder que em nós opera.” E de graça mesmo!!!

O que Deus mais gosta, no entanto, é de fazer surpresas graciosas e não explicar muito porque fez assim ou assado... Ele sempre tem uma boa razão para agir como age. Mas só percebe isso quem está aberto e ora pedindo que Ele responda como “bem quer e entende que deve”. Assim:

“Querido Deus:
Fique à vontade na minha vida...
Faça o que o Senhor quiser na minha história...
Permita o que achar que deve permitir que aconteça...
Eu realmente creio que só queres o melhor para mim,
ainda que nem sempre eu possa entender Suas razões...”.
Amém.